Antibióticos podem não ser a melhor opção para crianças com dor de ouvido

Por que antibióticos podem não ser a melhor opção para crianças com dor de ouvido?

Antibióticos podem não ser a melhor opção para crianças com dor de ouvido

A otite é uma inflamação na orelha média ou externa, que gera dor de ouvido. É causada pela entrada de microrganismos na orelha. Pode acontecer em qualquer fase da vida, mas é mais comum em crianças. Os sintomas são dor e sensação de ouvido entupido. Nas crianças, geralmente vem acompanhada de febre alta, falta de apetite, choro e dificuldade para dormir.

A Associação Americana de Pediatria (AAP) lançou recomendações que excluem os antibióticos como tratamento central das otites médias. Eles apontam novas diretrizes que recomendam critérios mais rigorosos para realizar um diagnóstico, com o objetivo de reduzir a prescrição do antibiótico.

Alguns médicos reconhecem que o antibiótico é a única maneira de acabar com a infecção em alguns casos. Porém, nem todos os pacientes precisam dele para melhorar. Além disso, se a prescrição for realizada precocemente, o antibiótico pode ser usado sem real necessidade.

Isso é um problema porque o medicamento também ataca as bactérias “boas” do nosso organismo, que são responsáveis pelo equilíbrio da flora intestinal, da saúde da pele e da garganta.

Quando o antibiótico não é necessário

Em casos de crianças de 6 a 23 meses com otite apenas em um ouvido e sem sintomas graves ou em casos de crianças com mais de 2 anos sem sintomas graves, o antibiótico pode esperar. Nesses casos, elas podem ficar em observação por dois dias sem o medicamento. Se elas não melhorarem dentro desse período, o antibiótico deve ser prescrito pelo médico.

Quando o antibiótico é essencial

Em crianças de 6 meses ou mais, com sintomas graves, como febre de +39°C e para crianças de 6 a 23 meses com otite nos dois ouvidos, o antibiótico deve ser receitado mesmo quando o quadro não é grave.

Como prevenir?

Antes prevenir do que remediar, certo? Por isso, vale a pena atentar-se a esses 3 itens para evitar o desenvolvimento de otites:

  • Amamentação exclusiva até os 6 meses
  • Reduzir ou evitar o uso da chupeta dos 6 meses a 1 ano
  • Tomar a vacina contra a gripe (H1N1) e a vacina pneumocócica
Voltar para Notícias