Fogos de artifício podem causar danos irreparáveis para a audição

Fogos de artifício podem causar danos irreparáveis para a audição.

Fogos de artifício podem causar danos irreparáveis para a audição

Fogos de artifício estão sempre relacionados a momentos de grande alegria e beleza. Apesar de serem divertidos e muito utilizados em festas e confraternizações, eles também apresentam alguns perigos. Os shows pirotécnicos podem representar riscos à saúde, pois, se manuseados sem as devidas orientações técnicas, podem causar danos à audição, queimaduras e até mesmo amputações.

Atualmente, cerca de 10% da população mundial apresenta algum tipo de perda auditiva. No Brasil, cerca de 20% da população é portadora de surdez neurossensorial bilateral, decorrente de exposição a ruídos intensos.

Os barulhos ocasionados durante a queima dos fogos de artifício pode variar de 150 a 175 decibéis. O número está acima do recomendado pela Organização Mundial de Saúde, que estabelece até 140 decibéis para um ouvido adulto. Já para as crianças é recomendável apenas 120 decibéis, o que significa que elas nunca devem ficar expostas aos fogos de artifício sem proteção.

Os danos podem ocorrer após 30 a 6 minutos de exposição intensa, podendo ocasionar perdas de audição parcial ou surdez. Os sintomas de perda auditiva induzida por ruído podem aparecer imediatamente com a dificuldade de compreensão de fala, zumbido, sensação de ouvido entupido e intolerância a sons intensos. Os afetados também podem relatar queixas, como tontura e irritabilidade.

Por isso, durante as festas de fim de ano, eventos que tenham a queima de fogos ou sons muito altos, é importante se prevenir. Em todos os casos, o uso de protetores auriculares descartáveis pode fazer toda a diferença. Eles são facilmente encontrados em farmácias. Outra opção é manter distância segura do lançamento dos fogos: quanto mais longe estiver, menor serão os impactos da onda de choque causada pela explosão. A qualquer sinal de alteração na qualidade sonora ou de algum sintoma, consulte um otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo. O profissional poderá avaliar a gravidade e apresentar soluções para cada tipo de problema.

Como manter os animais seguros?

Cada animal ouve em uma determinada frequência. Muitos deles, inclusive, são capazes de distinguir ultra e infra-sons, imperceptíveis para os humanos. Já os morcegos e golfinhos utilizam um sistema de emissão e recepção de ultra-sons para “desenhar” o espaço onde estão e se deslocarem com facilidade.

Alguns pássaros são capazes de ouvir larvas dentro de madeira ou minhocas cobertas por dez centímetros de terra. Os gatos e cachorros, ouvem ultra-sons, agudos demais para as pessoas e, assim, são capazes de escutar com precisão a localização de outros seres. Por isso, quando há queima de fogos de artifício, os animais tendem a ficar muito estressados.

Para proteger os nossos bichinhos é preciso se preparar e estar atento às seguintes dicas:

  • Durante os fogos, não mude o comportamento! Mimar e agradar mais deixa o animal agitado pelo comportamento do dono.
  • Faça o possível para camuflar o som dos fogos. Se possível, feche as janelas e ligue aparelhos como o rádio, TV, ventilador ou ar condicionado.
  • Não force seu cão. Se ele quiser se esconder embaixo da cama, deixe. Não o obrigue a fazer nada que ele não queira.
Voltar para Notícias