Os bebês ouvem no útero?

Bebês ouvem no útero?

Os bebês ouvem no útero?

Sim, os bebês ouvem no útero. Estudos mostraram que por volta do terceiro mês de gestação o bebê consegue ouvir sons vibrações produzidas no interior do corpo da mãe. Entre 22 e 26 semanas, ele já começa a interagir com os sons e estímulos externos.

Após o nascimento, vozes e músicas que o bebê acostumou a ouvir dentro da barriga são familiares e podem ser reconhecidas. Por isso é comum que ele pare de chorar ao ouvir a voz da mãe ou fique mais calmo quando é colocado em seu colo e ouve o coração dela.

Quais sons o bebê consegue escutar?

Além das vozes de pessoas próximas, o bebê escuta barulhos internos do organismo da mãe. Batidas do coração, a pulsação da artéria aorta, a circulação sanguínea na região uterina, os sons do estômago e do intestino, das articulações em movimento e até mesmo os passos.

Para chegar até ele, os ruídos atravessam diversas barreiras, como a pele, o tecido subcutâneo, a parede do útero e, por último, o líquido amniótico.

Quais são os benefícios?

Já na barriga o bebê responde a mãe. Os batimentos cardíacos diminuem, o bebê fica mais calmo, se movimenta, pisca e até mesmo faz movimentos de sucção, como se estivesse mamando.

Estudos internacionais mostram que ouvir música clássica durante a gestação é benéfico para o desenvolvimento do cérebro da criança. Além disso, quando estimulado com carinho, músicas e conversas, o bebê possui uma capacidade maior de aprender coisas novas na infância.

Como se desenvolve a audição infantil?

Quando nascem, os bebês ainda que não conseguem se expressar com palavras, mas desenvolvem outras maneiras de se comunicar com os adultos.

Quando escutam um barulho um pouco mais alto, é normal que eles direcionem o olhar para saber o que está acontecendo. Se o bebê parece alheio ou se a criança pequena fala de uma maneira muito distante da correta, pode tratar-se de um problema auditivo. Nesses casos, não hesite em procurar ajuda de um otorrino e um fonoaudiólogo.

Voltar para Notícias