Pesquisas indicam relação entre doenças do coração e perda auditiva

Pesquisas indicam relação entre doenças do coração e perda auditiva

Pesquisas indicam relação entre doenças do coração e perda auditiva

Você sabia que um sistema cardíaco saudável tem efeito positivo para a audição?

Pesquisas comprovam que sair do sofá e caminhar por 30 minutos em intensidade moderada, de duas a três vezes por semana, diminui 32% a chance de desenvolver perda auditiva. Os pesquisadores acreditam que um diagnóstico de perda auditiva pode ser um indicador de doenças do coração existentes ou iminentes.

As pesquisas que foram publicadas recentemente no American Journal of Audiology revelam dados alarmantes. Pessoas portadoras de doença cardiovascular são 54% mais propensas a desenvolverem doenças auditivas do que as pessoas com a saúde do coração em dia. Entre as mulheres, as que tiveram um ataque cardíaco, têm 2,7 vezes mais chances de desenvolver perda auditiva.

Os pesquisadores ainda afirmam que qualquer alteração na saúde cardiovascular é prejudicial para o sistema auditivo. As conexões nervosas entre membros e órgãos são feitas via sistema nervoso central, no qual o sistema auditivo está conectado. Qualquer alteração neste fluxo sanguíneo vai alterar como o cérebro processará as informações e sons.

Os resultados indicaram uma associação significativa entre perda auditiva nas baixas frequências e fatores de risco para doença cardiovascular. Pessoas com hipertensão arterial, diabetes, tabagismo e dislipidemia são mais propensas a desenvolverem doenças auditivas.

A ligação entre doenças do coração, função cardiorrespiratória e perda auditiva está na capacidade do sistema cardiovascular em fornecer fluxo sanguíneo para o ouvido interno. Ele é tão dependente deste fluxo quanto qualquer outro órgão do corpo.

Por outro lado, a pesquisa também afirma que as pessoas que possuem uma boa função cardiorrespiratória têm uma melhor audição. Isso sugere um possível efeito protetor do sistema auditivo nas pessoas que realizam atividades físicas.

Pesquisadores concluíram que indivíduos com distúrbios cardiovasculares podem estar mais propensos à perda auditiva. Por isso, necessitam de avaliações periodicamente. Eles também sugeriram a situação inversa: pacientes já diagnosticados com perda auditiva deveriam ser orientados sobre o risco de desenvolverem problemas cardio ou cerebrovasculares. Assim, encaminhamentos específicos deveriam ser considerados.

FONTE: Healthy Hearing / American Journal of Audiology

Voltar para Notícias