Tímpano perfurado tem cura?

Tímpano perfurado tem cura?

Tímpano perfurado tem cura?

O tímpano é uma membrana em formato de cone, que fica entre o ouvido externo e o médio. Um tecido bem fino, semi transparente que recebe estímulos sonoros e transforma em vibrações, convertendo-os em sinais elétricos que serão transmitidos ao cérebro para serem interpretados. Na maioria dos casos, o tímpano perfurado tem cura! Mas antes é necessário saber as causas exatas que levaram a perfuração timpânica, para que então seja diagnosticado o grau de perfuração através de exames com aparelhos específicos. Em casos de pequenas lesões o tecido de cura sozinho, mas em casos extremos é preciso recorrer a cirurgia.

Sintomas

Uma pessoa com o tímpano danificado sente imediata diminuição na capacidade auditiva e dor intensa. O episódio pode vir acompanhado de outros sintomas como coceiras, zumbidos, tonturas e vertigens. Ao suspeitar da perfuração recorra a um médico, principalmente se houver secreção amarelada ou sangramentos. Não tente nenhum tratamento ou auto medicação sem antes ter o diagnóstico de um médico.

Diagnóstico

O otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo irá analisar o histórico do paciente para saber quando e sob quais circunstância os sintomas começaram a aparecer. Em seguida o profissional segue para os exames, através dos aparelhos de otoscópio e dependendo do caso, a audiometria. Os exames determinarão qual o grau de perfuração e se o rompimento da membrana pode acarretar em sequelas, como fraturas nos ossos formadores do ouvido ou a perda de audição temporária ou permanente.

Como o tímpano pode ser perfurado?

A perfuração pode ser causada por diversos fatores, mas as principais causas são:

  • Infecções no ouvido médio: casos frequentes de otites ou má higiene, com o acúmulo de cera no ouvido.
  • Pressões fortes: mudança de pressão atmosférica, tapas com a mão aberta e até mesmo um beijo.
  • Objetos pontiagudos: se introduzidos de maneira incorreta, tais como cotonetes, lápis ou grampos, podem causar perfuração.
  • Jatos fortes de água ou ar, diretos no ouvido.
  • Sons altos ou explosões: conhecidos como traumas acústicos, desde caixas de sons a estouro de moto.

Tratamentos

Na maioria dos casos, não é preciso nenhum tratamento específico, já que o tecido é capaz de se recuperar sozinho em algumas semanas, mas é preciso ter alguns cuidados durante a recuperação. É importante manter o ouvido sempre seco, evitar assoar o nariz e tomar banho ou entrar na água sem proteção. Tudo para prevenir que a água entre no canal e se acumule, infeccionando o ouvido.

Nos casos em que a regeneração do tecido for mais demorada, ou que a perfuração tenha sinais de infecção, o médico pode recomendar o uso de antibióticos para tomar ou pingar no ouvido. Se a recuperação ultrapassar dois meses, geralmente é indicado a cirurgia para a correção do tímpano perfurado, a timpanoplastia. Ela também é indicada para casos mais graves como traumatismo craniano e quando o paciente apresenta fraturas nos ossos que formam o ouvido, além da perfuração.

Na timpanoplastia é colocado um pedacinho da pele de outra região do corpo, no lugar do tímpano, com a finalidade de que o enxerto possa auxiliar na regeneração da membrana. Após a cirurgia a pessoa deve descansar e usar o curativo durante oito dias, retirando-o apenas no consultório para avaliação. Também não é recomendado fazer exercícios nos primeiros quinze dias e não viajar de avião durante dois meses.

É válido ressaltar que um atendimento médico rápido e diagnóstico precoce, é fundamental para o sucesso dos tratamentos, além de prevenir que o rompimento da membrana cause alguma sequela como a perda da audição temporária ou permanente.

Voltar para Notícias