Você já ouviu falar em presbiacusia?

Você já ouviu falar em presbiacusia?

Você já ouviu falar em presbiacusia?

Presbiacusia é o nome dado ao processo de desgaste fisiológico das células auditivas, que normalmente ocorre a partir dos 60 anos. O nosso envelhecimento diminui a capacidade de algumas células de realizar a mitose, o que causa um acúmulo de pigmentos intracelulares e pode afetar estruturas que são importantes para a audição. Esse processo provoca a perda auditiva, ainda mais quando associado a outros fatores degenerativos das células, como o tabagismo.

Quais são os sintomas?

É comum que a presbiacusia comprometa primeiramente o entendimento dos sons agudos. Porém, no estágio inicial pode ser quase imperceptível. Com o tempo, a pessoa passa a ter dificuldades na audição e compreensão da fala e é comum queixar-se de “ouvir mas não entender”.

Tipos de presbiacusia

A presbiacusia pode ser de 4 tipos diferentes, dependendo da maneira como se manifesta.

Sensorial: nome dado à perda auditiva neurossensorial bilateral e simétrica, que começa na meia idade. É considerado o tipo mais comum de presbiacusia e costuma vir acompanhada de zumbido.

Neural: os neurônios cocleares são reduzidos, podendo afetar a coordenação motora e causar déficits cognitivos. Progride rapidamente, causando grandes dificuldades de compreender a fala.

Metabólica: acontece quando a discriminação dos sons começar a ser dificultada a partir dos 50dB.

Mecânica ou coclear condutiva: possui esse nome devido ao enrijecimento da membrana basilar, que causa alteração nas características de ressonância da cóclea.

Independentemente do tipo de presbiacusia, se ela não for diagnosticada e tratada corretamente pode trazer inúmeros malefícios. Entre eles, o isolamento do idoso do convívio social é um dos mais preocupantes. Esse comportamento pode acarretar em outras doenças, como a depressão e a demência.

Possui tratamento?

O tratamento não é capaz de restaurar a audição normalmente, mas as alternativas disponíveis podem fazer com que o idoso mantenha sua qualidade de vida e autoestima.

É importante relembrar da importância de consultar um médico especializado e realizar testes auditivos, como a audiometria, com fonoaudiólogos. Os resultados visam proporcionar bem estar, conforto e segurança ao idoso.

Voltar para Notícias