Existe relação entre perda auditiva e bruxismo?

Existe relação entre perda auditiva e bruxismo?

Existe relação entre perda auditiva e bruxismo?

O bruxismo é caracterizado pela prática de apertar e ranger os dentes com força desnecessária da musculatura facial durante o sono. O hábito pode causar o amolecimento e desgaste dos dentes. Além disso, muitos portadores de bruxismo apresentam queixas auditivas, sugerindo uma então relação entre perda auditiva e bruxismo.

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), teve como objetivo analisar a ocorrência de perda auditiva em indivíduos bruxistas. O estudo contou com uma amostra de 40 participantes divididos em dois grupos. Com essa investigação foi possível concluir que queixas e alterações auditivas são comuns em indivíduos bruxistas.

Zumbido

No estudo realizado pela UFPE, o zumbido foi o sintoma mais recorrente, relatado por 40% dos participantes de cada grupo. Na verdade, o zumbido pode ser desencadeado por diversas causas, sendo o bruxismo apenas uma delas. Essa disfunção faz com que haja um encaixe incorreto da mandíbula, prejudicando seu trabalho e forçando a musculatura mastigatória. Dessa forma, o sistema sensorial pode confundir a força exercida, interpretando-a como zumbido.

Além disso, existem outros problemas ortodônticos como a sobremordida, a mordida aberta e a mordida cruzada, que prejudicam o encaixe correto da mandíbula e do maxilar. Isso favorece com que o cérebro interprete esse comportamento como zumbido. Nesses casos, alguns dos principais sintomas são a dor na mandíbula, ao tocar próximo dos ouvidos ou ao abrir e fechar a boca.

Tratamento

Para tratamento da perda auditiva ou zumbido relacionado ao bruxismo, é importante a ocorrência de tratamento multidisciplinar pelos profissionais da odontologia e fonoaudiologia. Trabalhando em conjunto eles podem prevenir para que não ocorram alterações auditivas mais graves.

Os profissionais responsáveis devem definir qual é a melhor forma de iniciar o tratamento. Pode ser por meio de fisioterapia, exercícios musculares, cirurgia, placa de proteção dentária, entre outros.

Para quem não sabe como começar a buscar ajuda, o primeiro passo é consultar um otorrinolaringologista. Esse profissional é o responsável por encaminhar o paciente para outros médicos especialistas.

Voltar para Notícias