Perda auditiva súbita: saiba o que é e como tratar

Perda auditiva súbita: saiba o que é e como tratar

Perda auditiva súbita: saiba o que é e como tratar

A perda auditiva súbita é caracterizada pela repentina dificuldade para ouvir, com os sintomas progredindo em poucas horas. Ela atinge a audição num grau moderado a severo e é mais comum em apenas um ouvido. Porém, também existem casos em que a dificuldade de ouvir estende-se para ambos os lados.

Ela pode atingir tanto homens quanto mulheres, mas em maior parte naqueles que possuem entre 40 e 60 anos de idade. Dependendo da causa, a perda auditiva súbita vem acompanhada de zumbido e, em alguns casos, de vertigem.

Causas

As causas para perda auditiva súbita podem ser diversas e, muitas vezes, desconhecidas. Pode ser consequência de uma infecção viral, como sarampo, caxumba, catapora, gripe, entre outras. Também pode ter causas genéticas, autoimunes e ocorrer a partir de lesões no ouvido interno decorrentes de um traumatismo craniano, por exemplo. Além disso, o uso de medicamentos ototóxicos também pode estar relacionado.

Sintomas

Os sintomas variam entre os pacientes, mas partem da percepção de uma diminuição da audição, que pode vir acompanhada de zumbido e/ou tontura. Algumas pessoas relataram também a sensação de pressão nos ouvidos, como se ele estivesse entupido.

Tratamentos

O recomendado é que a pessoa procure um otorrinolaringologista assim que perceber a perda da audição. Nos casos de perda auditiva súbita, a rapidez em buscar tratamento pode fazer bastante diferença nos resultados. O ideal é que o médico seja consultado nas primeiras 48 horas. Após esse período, as chances de conseguir reverter o problema diminuem consideravelmente.

Os tratamentos variam de acordo com a causa da perda auditiva e com o médico que está cuidando do caso. O que normalmente acontece é a realização de um exame clínico seguido de uma audiometria. Nos casos mais comuns o tratamento é realizado com medicamentos. Cerca de metade das pessoas recupera a audição normal entre 10 a 14 dias. Caso o paciente não sinta melhora, é indicado o uso de aparelhos auditivos.

Prevenção

Prevenir é sempre a melhor opção! O recomendado é que os pacientes sempre peçam esclarecimentos sobre medicamentos ototóxicos. Fora isso, é muito importante evitar a exposição prolongada a ruídos intensos. Aqui você encontra uma lista com as principais dicas para cuidar da sua audição.

Gostou do post? Compartilhe nas redes sociais para levarmos a informação para mais pessoas!

Voltar para Notícias