Por que sentimos pressão no ouvido dependendo da altitude?

Por que sentimos pressão no ouvido dependendo da altitude?

Por que sentimos pressão no ouvido dependendo da altitude?

Quando descemos a serra, andamos de avião ou praticamos mergulho, sentimos um desconforto no ouvido. Isso acontece porque a pressão interna do nosso ouvido fica desbalanceada em relação à pressão do ambiente. No caso de maior altitude, a pressão externa diminui e o tímpano é empurrado para fora. Já em casos de menor altitude, como em um mergulho, o tímpano se retrai, inflando para dentro.

Para compreender como isso acontece, é preciso primeiro entender como funciona o nosso ouvido nesses casos.

Como funciona o ouvido

O ouvido humano é constituído de três partes: ouvido externo, médio e interno. É o ouvido médio que é afetado pela altitude e causa desconforto nesses casos. Ele fica separado do meio ambiente por uma membrana chamada de tímpano. Porém, ele se comunica com o meio ambiente por uma abertura chamada trompa de Eustáquio.

Quando ocorre o aumento da pressão dentro do ouvido médio, ela é equilibrada com a pressão do meio ambiente por meio da trompa de Eustáquio. Isso significa que sempre que houver desconforto por mudança de pressão, é necessário fazer a trompa de Eustáquio abrir para equilibrar a situação.

Barotrauma

O barotrauma é uma lesão provocada pelo desequilíbrio da pressão ambiental e do ouvido. Os principais sintomas são: dor no ouvido, sensação de ouvido entupido, zumbido e diminuição da audição. Em casos mais severos de barotrauma, esses sintomas são mais intensos e acrescenta-se a possibilidade de vertigens e rupturas do tímpano.

Em crianças o risco de barotrauma é maior porque elas possuem uma trompa mais estreita. O mesmo pode-se dizer de pessoas com rinite alérgica ou que estejam resfriadas, pois a trompa de Eustáquio entupida tem mais dificuldade de equilibrar as pressões.

Como evitar

Existem algumas maneiras de diminuir o desconforto. Todas elas envolvem forçar a trompa a trabalhar.

  • Abrir e fechar a boca várias vezes, como por exemplo, mascando chiclete
  • Beber pequenas quantidades de líquido
  • Bocejar
  • Manter-se acordado durante decolagens e pousos do avião
  • Manobra de Valsalva (expiração forçada com a boca fechada e os dedos prendendo o nariz)

Os sintomas de barotrauma devem passar em até algumas horas após voltar à pressão atmosférica normal. Mas, se os sintomas persistirem, é importante procurar um médico.

Voltar para Notícias